Powered by Rock Convert

Por José Pacheco

Que tipo de advogado você é ou quer vir a ser? Um advogado especialista em determinado ramo jurídico, que conquista uma boa reputação por meio da experiência? Ou um advogado generalista, que se propõe a resolver qualquer tipo de causa ou consultoria que bata à sua porta?

De início, é preciso definir bem qual será a sua opção e compreender as consequências de tal escolha. Haverá vantagens e desvantagens, sendo necessário perceber qual opção representa mais ganhos.

Neste post, você vai ver as diferenças entre o chamado advogado especialista e o advogado generalista e por que a especialização é a melhor escolha. Interessou-se pelo tema? Então continue a leitura e tire as suas dúvidas!

Diferenças entre advogado especialista e generalista

O advogado generalista é aquele que aceita causas e consultoria sobre qualquer assunto jurídico que apareça. Logo, não procura definir uma área de atuação: cível, penal, tributário, consumidor, empresarial etc.

Tal opção é muito sedutora no início da carreira e aparenta ser vantajosa, pois eventualmente pode representar uma receita inicial maior, já que não há causas que são dispensadas. No entanto, a possível vantagem não se mostra eficaz a longo prazo, conforme veremos neste post.

Já o advogado especialista geralmente tem pós-graduação e desempenha as suas atividades em determinado ramo jurídico, o que permite que o seu aprendizado seja mais veloz e seguro do que o generalista, de modo que se destaque no mercado de trabalho.

É importante esclarecer que a especialização pode ser apresentada como gênero que tem diferentes graus. Pode-se falar em especialização em determinada área do Direito ou ramo jurídico, em segmento de mercado e em nicho de mercado. Portanto, dentro do conceito de especialização, o grau mais amplo seria a área e o mais específico, o nicho.

Por exemplo: a área pode corresponder à área cível; o segmento de mercado pode corresponder ao Direito Imobiliário; já o nicho pode se tratar de um tema específico do Direito Imobiliário, como a incorporação imobiliária.

Nesse sentido, o advogado especialista trabalha em uma área, segmento ou nicho, com a finalidade de adquirir mais conhecimento e experiência em um campo de atuação específico. É fundamental que o advogado especialista esteja sempre atento às atualizações e seja persistente nos estudos. Logo, é recomendável cursos de atualização e pós-graduação na área.

Vantagens de ser um advogado especialista

O advogado especialista tende a construir uma reputação que o identifique como alguém com credibilidade. Isso impactará diretamente os seus ganhos financeiros, pois a reputação gera confiança — o que representa boas possibilidades de conquista de clientela.

O fato é que o nível de competência profissional, quando disperso em várias áreas, tende a ser menor do que quando focado em determinada área, afetando os resultados dos serviços prestados. Observa-se que ter excelência nos resultados é fundamental na construção de uma reputação.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Portanto, apesar de o advogado especialista abrir mão de causas que não fazem parte da sua área de atuação, ele tende a ter mais ganhos à medida que apresenta resultados diferenciados. Essa situação é muito importante devido à grande competitividade enfrentada pelos advogados.

Entretanto, é difícil para o advogado em início de carreira dispensar causas, já que está justamente em busca de experiência e retorno financeiro após anos de investimentos em estudos. Mesmo assim, é necessário ter paciência para não se prejudicar.

Uma boa dica para resolver esse dilema de advogados iniciantes é adotar uma estratégia de se promover como especialista e atuar como generalista. Deve-se promover a carreira como um especialista, procurando desenvolver habilidades da área de atuação escolhida.

Isso se faz por meio de cursos de pós-graduação e atualização, e também mediante um eficiente marketing jurídico, observando todas as cautelas necessárias das normas de ética profissional.

Contudo, no início da carreira, não é necessário dispensar causas que fujam ao campo de atuação. Esse filtro em relação às causas pode vir com o tempo, à proporção que o advogado vai se sentindo financeiramente mais confortável em atuar tão somente no ramo especializado.

O que se recomenda é que, apesar de eventualmente atuar em outros campos, o advogado não se promova como generalista. É fato que o mercado, de uma maneira geral, dá mais credibilidade ao advogado especialista. Logo, para se ter uma boa reputação, é necessário construir a divulgação profissional no sentido da especialização.

Especializações em alta no Direito

Para escolher uma especialização, é preciso observar vários fatores. Por exemplo: o número de profissionais atuantes na região, se há demanda por tais serviços no local e o interesse pela área. Nesse sentido, as áreas novas no Direito, como o Direito Digital, demandam mais profissionais do que o mercado disponibiliza, o que obviamente beneficia os especialistas na área.

O chamado Direito Digital, resultado da interação entre tecnologia e Direito, é uma das áreas mais promissoras dos ramos jurídicos, com tendência de crescimento, à medida que os avanços vão cada vez mais modificando as relações sociais.

Outra carreira jurídica que se mostra promissora é a função de compliance, que é fundamental para a adequação das empresas às normas legais e éticas. Cada vez mais há exigências de implementação de programas de compliance nas empresas, do ponto de vista legal ou fruto de demanda do próprio mercado.

O Direito Empresarial e Societário também é um ramo jurídico que sempre demanda o advogado especialista, por causa da necessidade empresarial de compreender os riscos que o negócio envolve.

Há outras especializações que também se apresentam promissoras, como nas áreas trabalhista e previdenciária, que, apesar de não tão novas, devido às grandes modificações legislativas que ocorreram recentemente, apresentam tendência de grandes discussões e controvérsias jurídicas.

Um segmento que se apresenta bastante inovador é o chamado Direito da Moda ou Fashion Law. Trata-se de um segmento com tendência de crescimento nos próximos anos e, devido ao fato de ser novidade, há deficiência de profissionais qualificados. No Direito da Moda, há necessidade de o advogado especialista se dedicar a determinados aspectos, como propriedade intelectual, direito autoral, direito concorrencial etc. Contudo, ainda não há legislação específica sobre o tema, o que comprova o seu grau de inovação.

E, então, quer dar o primeiro passo para se tornar um advogado especialista? Entre em contato com a EBRADI e confira cursos de pós-graduação com grandes nomes do Direito!

Powered by Rock Convert