Sabe aquela agonia que dá quando você estuda e, na hora em que você mais precisa, vem aquele branco e você não consegue se lembrar de nada? Quem nunca passou por isso? Mas como melhorar a memória e evitar esses bloqueios? Será que é possível?

A resposta é sim! É possível! Nossa memória pode ser exercitada, assim como o resto do nosso corpo. Mantê-la ativa é o segredo para deixá-la saudável, preparada para guardar novos conhecimentos e ser usada quando for necessário.

Neste post, você conhecerá alguns problemas que podem atrapalhar, e muito, a nossa memória. Além disso, descobrirá algumas dicas valiosas de como turbiná-la e deixá-la pronta para absorver o máximo do seu estudo. Você não pode deixar de ler!

Por que temos dificuldade em memorizar algo?

A dificuldade em memorizar informações é uma queixa bastante comum. Entretanto, a sua causa geralmente não costuma estar relacionada a doenças no cérebro ou problemas graves de saúde. Conheça alguns dos motivos que nos levam a apresentar tal dificuldade.

Falta de atenção

Muitas vezes, não conseguimos nos lembrar de algo porque, enquanto estudávamos, não estávamos realmente prestando atenção naquilo que estávamos fazendo. Querer fazer várias coisas ao mesmo tempo é um dos maiores erros e atrapalha muito a memorização na hora do estudo. Por isso, não é aconselhável estudar com a televisão ligada ou ouvindo música.

Desuso da informação

Isso é muito perceptível no caso dos idiomas. Você passa anos estudando uma língua e, depois, nunca mais a treina. Em pouco tempo, percebe que já se esqueceu muito do que aprendeu. Isso acontece pela falta de uso daquele conteúdo aprendido.

Para estar sempre à disposição da nossa memória, é necessário que a matéria seja sempre utilizada. Daí a importância das revisões constantes. Não dá para querer ler um texto apenas uma vez e acreditar que ele já foi perfeitamente memorizado.

Falta de interesse pessoal

A motivação é um dos fatores principais para uma boa memorização. Se você senta na frente do livro e logo vem à cabeça um pensamento negativo do tipo “que chato, tenho que estudar”, certamente a memorização daquela matéria será prejudicada.

Mesmo que não seja sobre o seu assunto favorito, tenha em mente o objetivo que você alcançará com aquele estudo. Se ele é necessário, você terá que dominá-lo para conquistar o seu sonho. Então, encare-o pensando no seu futuro.

Ansiedade e estresse

Esses são dois grandes inimigos da memória. Além de atrapalharem muito durante o aprendizado, costumam ser responsáveis pelos famosos brancos na hora da prova. Eles criam bloqueios em nosso cérebro de tal forma que o impossibilita de resgatar as informações guardadas. Crie o hábito de tirar alguns momentos para relaxar, ouvir música ou assistir a uma série na TV.

A boa notícia é que nossa memória pode ser treinada e existem muitas técnicas de estudo que auxiliam nesse sentido. Veja as dicas a seguir!

Como melhorar a memória?

Esta é a preocupação de todo estudante: seja para as matérias da escola, uma pós-graduação ou um curso de especialização, a memória tem de estar em ordem para tirarmos o máximo de proveito do nosso estudo.

Ela é essencial para a nossa vida profissional e até para conseguirmos executar satisfatoriamente todas as nossas atividades do dia a dia. Ter uma boa memória é ter a capacidade de recuperar e arquivar novas informações.

Praticamente tudo o que aprendemos se transforma em reações químicas no nosso cérebro. Por isso, coisas como a nossa alimentação, as nossas emoções, a ansiedade e o estresse causam grande impacto na qualidade da nossa memória.

Powered by Rock Convert

De uma forma bem resumida, podemos dizer que temos dois tipos de memória:

  • a memória de procedimentos — que é a que usamos para fazer as tarefas do cotidiano. Nós a usamos e nem percebemos;
  • a memória declarativa — usada quando precisamos nos recordar de fatos ou informações. É ela que usamos nos nossos estudos. Ela pode ser imediata, de curto ou de longo prazo.

Quando aprendemos, usamos a memória de curto prazo e o cérebro definirá se aquela informação é relevante o suficiente para ser transformada em memória de longo prazo ou não. Segundo Erick Kandel (Princípios da Neurociência), a repetição das experiências é o que converte as memórias de curto em longo prazo. Por isso, é tão importante o estudo contínuo.

Conheça algumas estratégias de memorização e aprenda a aproveitar ao máximo o seu tempo de estudo!

Realize associações

Muitas vezes, estudamos matérias que estão relacionadas a outras. Tenha em mente essas relações, lincando um assunto ao outro. Dessa forma, fica mais fácil se lembrar delas quando precisar.

Faça uso de técnicas mnemônicas

Trata-se de estratégias pessoais utilizadas para ajudar a não esquecer uma informação importante. Elas costumam ser muito usadas por estudantes para lembrar de fórmulas e conceitos. Um exemplo é formar uma palavra com as inicias das palavras de uma lista, de forma a não se esquecer de nenhuma delas.

Quanto mais absurda for essa associação, melhor. Nosso cérebro associa mais facilmente quando o conteúdo é curioso ou engraçado. Então, capriche na hora de criar as suas associações.

Utilize recursos visuais

Nossa visão colabora muito na memorização. Portanto, preste bastante atenção aos quadros, às tabelas, aos gráficos, às fotos e aos diagramas. Se não houver nenhum, crie os seus. Além de deixar as suas anotações mais alegres e coloridas, isso ajudará na visualização e memorização daquilo que você precisa.

Faça exercícios físicos

Estudar para se dar bem na hora da prova é fundamental, mas tão importante quanto isso é manter o hábito de realizar uma atividade física. Pode ser uma caminhada, um esporte ou uma dança. O importante é manter o corpo ativo. Dessa forma, você garante uma boa circulação sanguínea e boa oxigenação no seu cérebro, o que interfere diretamente no seu processo de memorização.

Tenha uma boa alimentação

Assim como os exercícios físicos, a sua alimentação também afeta a qualidade da sua memorização. Procure manter uma alimentação adequada com frutas e vegetais que contêm nutrientes que colaboram com esse processo.

Busque por alimentos que sejam ricos em vitamina B12, tiamina e ácido fólico. O zinco, encontrado nas carnes vermelhas, nos ovos e nos laticínios, é outro grande amigo. Eles favorecem a memória e a concentração.

Durma bem

Embora alguns estudantes acreditem que devam passar a madrugada estudando, uma boa noite de sono é um dos segredos para não ter problemas com a memorização das disciplinas estudadas. É durante o sono profundo que o nosso cérebro transforma a nossa memória de curto prazo em memória de longo prazo.

Estudar antes de dormir é aconselhável, mas cuidado para não fazer isso com sono. Se ele aparecer, é hora de fechar o livro e ir dormir, pois o seu cérebro não assimilará mais nada a partir desse momento.

É essencial manter a concentração, evitando fazer várias coisas ao mesmo tempo. Também é fundamental estabelecer a organização de uma rotina para o estudo. O importante é que você já sabe como melhorar a memória. Portanto, é só seguir as dicas acima e se preparar para o próximo concurso!

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre o assunto, não deixe de ler este outro artigo para descobrir como melhorar a sua produtividade nos estudos!

Powered by Rock Convert