A segunda fase do Exame da Ordem ocorreu nesse domingo (17/09) e, para que se alcance a tão sonhada aprovação, é necessário acertar o mínimo de 60% da prova, ou seja, obter nota 6 somando a peça prático-profissional e as questões dissertativas.

Entretanto, ao final da Prova da OAB, diversos candidatos se abalam pelo fato de, por pouco, não terem alcançado a média exigida. Mas não se preocupe agora, pois há grandes chances de que alguma questão possa ser anulada, além da possibilidade de se interpor um recurso solicitando a revisão de algum item, como dispõe o item 5.3.1 do edital da FGV/OAB:

“5.3.1. A teor do subitem anterior, o examinando disporá de três dias para a interposição de recursos contra o resultado preliminar da prova prático-profissional, das 12h do dia 11 de outubro de 2017 às 12h do dia 14 de outubro de 2017, observado o horário oficial de Brasília/DF. ”

Para isso, o candidato interessado deve acessar o Sistema Eletrônico de Interposição de Recurso, seguir as instruções nele contidas ou fazer o protocolo de sua solicitação na sede da seccional da OAB de seu estado.

Na prática, para a interposição de um recurso, é necessário que haja uma boa argumentação para tal, bem como um posicionamento eficaz.

O candidato pode interpor um recurso para a reanálise de alguma questão quando:

  1. A resposta do candidato estiver de acordo com o espelho disponibilizado e, utilizando argumentos compatíveis, o candidato acredite que tenha sido penalizado mais do que o necessário;
  2. Quando a questão for, de algum modo, subjetiva, e apresentar margens para uma interpretação ampla, admitindo mais de uma resposta;
  3. Quando a resposta que foi disponibilizada pelo espelho encontrar-se divergente da doutrina de direito.

Entretanto, se você foi um dos candidatos que, por qualquer motivo, não obteve grandes resultados nesse último exame, não desanime, pois você ainda pode participar da repescagem, que é o direito que os candidatos reprovados na 2ª fase de uma edição do Exame têm de fazer a próxima 2ª fase sem precisar se submeter novamente à prova da 1ª etapa, como dispõe o edital disponibilizado pela FGV/OAB:

“Art. 11. O Exame de Ordem, conforme estabelecido no edital do certame, será composto de 02 (duas) provas:

 

(…)

 

  • 3º Ao examinando que não lograr aprovação na prova prático-profissional será facultado computar o resultado obtido na prova objetiva apenas quando se submeter ao Exame de Ordem imediatamente subsequente. O valor da taxa devida, em tal hipótese, será definido em edital, atendendo a essa peculiaridade. ”

Lembra-se, cada queda é um aprendizado diferente, e agora é a hora de você voltar atrás e analisar o que fez de errado, para melhorar e conseguir a tão sonhada Carteira da Ordem.

Encare suas falhas como degraus para o sucesso!

Conte com a EBRADI para lhe auxiliar nessa preparação. Nossa maior meta é fazer com que você alcance seus sonhos!