O retorno do investimento é um indicador bastante utilizado na gestão, pois aponta o que foi alcançado com o tempo ou recurso alocado em determinada atividade. Por isso, ao usar o ROI na advocacia, é possível ter clareza sobre o progresso de um escritório.

Com essa métrica, o advogado enxergará se existe lucro ou prejuízo na prestação de serviços. Logo, pode decidir se vale a pena manter as coisas como estão ou se é hora de empregar medidas corretivas.

Neste conteúdo, você entenderá como aplicar o ROI na advocacia e trabalhar os resultados para ter mais sucesso no seu empreendimento. Continue a leitura!

O que é ROI?

O return of investiment (ROI) é um indicador de desempenho utilizado para avaliar investimentos de tempo ou recursos. Como a tradução sugere, busca-se o retorno do investimento realizado em uma atividade econômica.

Imagine, por exemplo, que uma pessoa empresta R$1.000,00 a 1% de juros simples mensal para um colega de trabalho. Após dois meses, o valor é devolvido 2% acima do que foi investido, ou seja, com um ROI de R$20,00.

Tal métrica pode considerar tempo, recursos materiais, esforço e diversos outros fatores. Por exemplo, se dois profissionais ganham um salário mínimo, e um deles trabalha em tempo parcial, o retorno de investimento integral do profissional será menor — não pelo dinheiro, mas pelo tempo e energia investidos.

Qual é a sua relevância para o escritório?

O ROI na advocacia tem uma série de aplicações tanto para avaliar a saúde do negócio como para entender a entrega de valor para o cliente. Além disso, o cálculo não apresenta grandes dificuldades.

Entender a rentabilidade do escritório

O ponto inicial é saber o retorno gerado para o dinheiro investido no escritório de advocacia, comparando as despesas e receitas.

Comparar processos entre si

Outro uso é estimar o ROI de um processo para decidir se vale a pena assumir a demanda ou, até mesmo, para precificar os honorários.

Avaliar a entrega de valor para o cliente

O ROI na advocacia também serve para observar quanto uma demanda judicial retorna para o cliente em relação aos honorários e despesas judiciais.

Verificar os ganhos com investimento em qualificação

Um último exemplo é avaliar quanto o escritório se beneficia com estudo e qualificação dos profissionais, bem como de investimentos em especializações em Direito.

Como o ROI é calculado?

Os cálculos apresentam níveis diferentes de complexidade. Normalmente, o ROI que avalia dinheiro é mais fácil de ser apurado, pois compara custos e receitas. Assim, podemos determinar o proveito econômico para o advogado ou cliente com clareza.

No entanto, outras áreas podem exigir mais interpretação do que a aplicação de um indicador rígido. É o caso, por exemplo, da carreira de Direito Criminal, em que o proveito para o cliente geralmente não será financeiro.

Retorno do Investimento (ROI)

De todo modo, a fórmula para calcular o ROI na advocacia é a seguinte:

  • (receita – custo) ÷ custo;
  • Se o escritório gera R$5.000,00 de despesa mensal e R$9.700,00 de receita, teríamos o seguinte ROI:
  • (9.700 – 5.000) = 4.700;
  • 4.700 ÷ 5.000 = 0,94 ou 94%.

Perceba que o cálculo pode ser aplicado em qualquer situação financeira. Por exemplo, o custo poderia ser os honorários e despesas do processo, enquanto a receita seria o valor da condenação.

Precificação dos fatores envolvidos

Em alguns casos, precisamos traduzir o investimento realizado em dinheiro para conseguir efetuar o cálculo. Imagine, por exemplo, que o advogado esteja diante de dois processos: um deles requer seis horas de trabalho; e outro, dez horas.

Nesse caso, começamos pelo valor da hora de trabalho. Por exemplo, se o advogado responsável receber R$5.000,00 por mês de pro labore, os custos seriam os seguintes:

  • (5.000 ÷ mês) = 166,66;
  • (166,66 ÷ jornada de 8 horas) = 20,83 por hora;
  • processo A = 6 x 20,83 = R$124,99;
  • processo B = 10 x 20,83 = R$208,30.

A partir da hora de trabalho, portanto, descobrimos o valor do tempo investido em cada atividade. Depois, basta incluir o resultado na lista de despesas e realizar o cálculo do retorno do investimento com a fórmula mostrada no tópico anterior.

Impacto das medidas

Uma alternativa à comparação entre custos e receita é verificar a diferença entre os resultados antes e depois de uma medida. Trata-se de uma prática frequente para avaliar o retorno do investimento em treinamentos e qualificação, por exemplo.

Nesse caso, o primeiro passo é escolher um indicador de desempenho, como produtividade, satisfação do cliente, custos, receitas etc. Depois disso, calcule a diferença entre os resultados anteriores e posteriores a uma medida.

Imagine que um profissional acertava 60% das provas de conhecimento em Processo Civil e, após a qualificação, passou a acertar 80%. Em tal situação, o retorno do investimento em treinamentos seria de 20%, considerando a avaliação de competências.

Como avaliar os resultados?

O ideal é que o ROI na advocacia seja parte de um processo de melhoria contínua, em que o feedback é utilizado para aperfeiçoar as atividades. Se o indicador estiver insatisfatório, geralmente é preciso intervir para tentar aumentar as receitas ou reduzir os custos.

Veja o que pode ser feito em relação às receitas:

  • pensar estratégias de marketing;
  • melhorar o atendimento ao cliente;
  • estudar prática jurídica para maximizar o resultado econômico dos processos;
  • buscar novos produtos e serviços;
  • avaliar a prefixação dos honorários.

Por sua vez, boas ações para diminuir custos são as seguintes:

  • digitalizar os documentos do escritório;
  • otimizar as rotinas de trabalho com software jurídico;
  • melhorar a eficiência energética do escritório;
  • prever despesas com correspondentes, audiências, transporte etc. no contrato de honorários.

Em ambos os casos, a qualificação será fundamental. Com especializações, o advogado consegue aumentar a produtividade, influenciar o resultado dos processos, minimizar erros e retrabalho, diminuir o tempo necessário para resolver problemas, entre uma série de outros benefícios.

Após tomar providências, lembre-se de manter uma rotina para medir esse indicador em períodos mensais, semestrais, anuais etc. Assim, comparando o histórico com os relatórios recentes, é possível entender se as medidas realmente causaram um impacto positivo no escritório.

Como visto, o ROI na advocacia tem inúmeras aplicações. Empregue-o para entender se o escritório gera lucro ou prejuízo, bem como o desempenho de cada processo. Depois disso, promova os ajustes necessários para tirar o máximo das atividades, acompanhando os resultados.

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais e converse sobre as possíveis aplicações do ROI com seus colegas de profissão!

Tenha as mesmas condições