Você sabe o que faz um advogado corporativo e quais são as suas atribuições? Em geral, esse tipo de profissional atua prestando assessoria jurídica para empresas de diferentes ramos, uma vez que todas as companhias necessitam de orientações legais.

Hoje em dia, o advogado corporativo exerce um papel fundamental nas empresas, sendo parte importante do processo produtivo. Por isso, o ramo chama a atenção de muitos profissionais.

Se você tem interesse pelo tema e deseja aprender sobre o papel do advogado corporativo, continue a leitura deste post que vamos apresentar mais detalhes. Não perca!

Qual é o papel do advogado corporativo?

O advogado corporativo tem como papel a responsabilidade de analisar situações que podem colocar as empresas em risco e procurar sempre pela melhor forma de operar nessas condições.

Assim, esse tipo de profissional costuma realizar um trabalho preventivo nas organizações, concedendo orientações para os gestores que devem auxiliar na tomada de decisões, além de elaborar pareceres relevantes. Para tanto, o advogado corporativo deve ser capaz de antever possíveis prejuízos e riscos que são capazes de atingir a sociedade empresária.

Quais são suas principais atribuições?

Agora que você já sabe qual é o papel do advogado corporativo, deve estar se perguntando quais são as suas principais atribuições, não é mesmo?! Nos próximos tópicos, vamos explicar resumidamente sobre cada uma delas.

Solucionar problemas

Assim como acontece nas demais áreas jurídicas, uma das principais funções do advogado corporativo é solucionar problemas jurídicos, assim como garantir os direitos da companhia e resolver pendências.

É fundamental que o profissional esteja preparado para a solução de problemas e apresente planos para crises a fim de deixar o empreendedor mais tranquilo. Para atuar com excelência, são requisitos primordiais contar com criatividade na solução de desafios e problemas e ter uma boa dinâmica, por exemplo.

Agir preventivamente

Hoje em dia, também é indicado que o advogado corporativo atue de maneira preventiva, isto é, ele precisa prever problemas que venham a ocorrer a fim de impedir riscos futuros e, consequentemente, prejuízos.

Para que tal feito seja possível, é preciso que ele entenda sobre o negócio de maneira ampla, para além da área especificamente jurídica. O profissional deve ter conhecimentos gerais sobre o mercado de atuação da companhia, suas demandas, seu público, suas necessidades, os objetivos organizacionais, entre outros aspectos.

Participar das estratégias da empresa

Também faz parte das atribuições do advogado corporativo participar de maneira ativa das estratégias da empresa. O profissional precisa se encontrar alinhado com as metas e os objetivos organizacionais para atuar de uma maneira que supra as necessidades da companhia, ajudando na diminuição de custos, no aumento da produtividade dos departamentos e na otimização de processos.

Nesse momento, é relevante considerar a escalabilidade das companhias e as maneiras mais eficazes de melhorar os seus resultados e se preparar para o futuro. Para tanto, o advogado corporativo pode, por exemplo, apresentar novos recursos (como softwares de gestão e sistemas jurídicos), analisar as tendências de mercado etc.

Orientar nas tomadas de decisão

Na prática, o advogado corporativo precisa ter atitudes mais estratégicas que operacionais, devendo ser, até mesmo, em determinadas situações, mais empreendedor do que jurídico, uma vez que uma de suas funções é orientar os empresários a tomarem as melhores decisões.

Tenha as mesmas condições

O profissional pode ajudar, inclusive, durante etapas, como no lançamento de campanhas e na criação de produtos, para prevenir que alguma ação errônea durante essas fases afete a imagem do negócio.

Nos casos em que o empresário precisa tomar uma decisão importante, o advogado corporativo deve sempre analisar os impactos da ação, viabilidade da operação e as possibilidades de efeitos negativos.

Agir como interlocutor

Mais uma das habilidades que o advogado corporativo deve ter é a da comunicação, uma vez que esse ramo jurídico também deve realizar a interlocução com outras áreas da companhia.

Dessa maneira, o profissional tem como seus deveres fundamentais manter uma comunicação objetiva, cultivar o bom relacionamento com as demais áreas da empresa e ter uma atuação que procura alinhar em todos os ramos do negócio.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a oratória não é um dom que somente alguns indivíduos têm, uma vez que é possível desenvolvê-la por meio de estudos e treinamentos.

Auxiliar em reuniões e negociações

Para que seja possível exercer atividades como atuar nas decisões estratégicas da companhia e orientar nas tomadas de decisão, o advogado precisa participar de negociações e reuniões para observar a viabilidade dos negócios, analisar a legislação relativa à operação da empresa e criar ações que integrem os setores.

Ao realizar o suporte com relação aos prejuízos ou vantagens e novas operações, por exemplo, se torna possível conduzir estrategicamente as negociações. Como consequência, o negócio tem mais chances de crescer e obter sucesso.

Como deve ser o perfil de um advogado corporativo?

O profissional que atua no ramo corporativo deve ter uma visão global tanto do âmbito jurídico quanto empresarial, tendo amplo conhecimento sobre a operação, o mercado e o setor de atuação do negócio.

Ele também deve ser capaz de compreender os demais assuntos relativos à empresa, à concorrência e, inclusive, a outras áreas do conhecimento — como contabilidade, direito societário, marketing e finanças corporativas.

Para ampliar o seu conhecimento para além do técnico jurídico, o profissional deve procurar desenvolver novas habilidades, fazer cursos de especialização, ter competências emocionais e conhecer as tendências tecnológicas.

Já no âmbito jurídico, a adaptação às tecnologias e às inovações é primordial para que etapas obsoletas e burocráticas sejam superadas. Nesse sentido, é relevante que o advogado corporativo se prepare para se tornar um profissional disruptivo.

A melhor maneira de se preparar para atuar na área é por meio de uma especialização voltada para a advocacia corporativa, uma vez que, assim, o profissional consegue desenvolver de forma global todas as habilidades, competências e conhecimentos que são necessários para trabalhar no ramo.

Agora que você já sabe o que faz o advogado corporativo, quais são as suas atribuições e o conhece o seu papel, deve ter percebido que esse tipo de profissional precisa se especializar a fim de adaptar o seu saber jurídico para suprir as demandas empresariais e obter os resultados desejados.

Se você gostou das orientações que apresentamos neste artigo, continue a visita e entenda o papel do advogado na governança corporativa!

newsletter

Novidades de EBRADI por e-mail

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.
Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Entre em contato com a equipe EBRADI

Preencha o formulário e fale com um consultor de vendas

Condições especiais para a sua matrícula

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

| AVISO DE COOKIES

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para auxiliar na navegação, aprimorar a experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Para mais informações consulte nosso Aviso Externo de Privacidade.