Quem atua no Direito sabe o quanto é necessário buscar conhecimento: mudanças e atualizações em leis, jurisprudências, súmulas, informativos, palestras e cursos otimizam o exercício da advocacia, assim como os livros de direito.

Não falamos daqueles escritos por doutrinadores, mas dos que trazem a visão jurídica no enredo e nas entrelinhas. Estes evidenciam valores a partir do caso narrado, ajudam na construção da conduta ética do profissional e cooperam para a sua boa desenvoltura em corte e para a aquisição de aprendizados além de normas e decisões judiciais.

Quer dicas de leitura valiosas para melhorar a sua atuação na advocacia? Confira os benefícios dessa prática e algumas obras imperdíveis na sequência.

A importância da leitura para os advogados

Mário Quintana, importante poeta e jornalista brasileiro, ressaltava a capacidade dos livros de mudar as pessoas e a delas de mudar o mundo. Se você é jurista, com certeza já comprou ao menos um Vade Mecum. Mas como complementa a sua formação pessoal e profissional?

Não se discute o quanto é essencial ler doutrina, lei seca e jurisprudência, pois elas respaldam fundamentações processuais, pleitos, argumentações em peças e sustentação oral — afinal, o Direito é feito de normas e entendimento das cortes.

No entanto, quanto tempo você dedica a livros focados em histórias, enredos, e não em disciplinas jurídicas? Essa leitura é tão importante quanto a das outras obras mencionadas, porque contribui com a construção pessoal e profissional do advogado.

Alguns dos benefícios verificados são: melhoria da oratória, maior capacidade de conectar fatos e alegações e desenvolvimento da inteligência emocional. Ainda, o jurista aprende a lidar melhor com as pessoas, otimiza a captação de clientes e pode virar expoente em sua área de atuação quando aprende a se comunicar de forma efetiva.

Livros essenciais para todo advogado

Ser um bom advogado não requer apenas ter amplo conhecimento jurídico, mas também competências ligadas à comunicação e aos valores éticos. Você aprende muito lendo como os colegas de profissão se comportam nos livros, mesmo quando eles são personagens fictícios.

Além do mais, questões históricas, morais e sociais são levantadas, o que dá abertura para discutir aspectos legais. Na sequência, indicamos algumas leituras que valem a pena. Confira!

O mercador de Veneza

Escrito por Shakespeare, a obra foi adaptada para o teatro e virou filme. Trata-se de um romance que se passa na mencionada cidade italiana no século XIV: um judeu é obrigado a dar pedaços de seu corpo ao credor por não ter quitado um empréstimo.

A situação parece absurda, mas retrata a construção jurídica da época, permitindo a comparação com princípios regentes da relação contratual nos tempos atuais. O defensor do réu encontra uma brecha no acordo firmado entre as partes e faz a defesa com maestria. Esse livro evidencia a importância da advocacia.

1984

O livro de George Orwell se passa no referido ano e tem Londres como cenário, uma sociedade totalmente vigiada pelo Estado totalitário (“Big Brother is watching you”). O personagem principal é um funcionário do governo encarregado de falsificar registros históricos.

A revolta contra o sistema corrupto, uma organização social sem leis, questões políticas e econômicas permeiam a trama. É uma ficção, mas apresenta traços de realidade capazes de instigar e perturbar o leitor, principalmente quando levamos em consideração que a obra foi escrita em 1949 e permanece tão atual.

O sol é para todos

O cenário: década de 1930, sul dos Estados Unidos, região caracterizada até hoje pelo forte preconceito racial. O livro conta a história de duas crianças cujo pai, advogado, foi contra o senso geral da sociedade e defendeu um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca.

Os pequenos relatam várias outras memórias ressaltando a desigualdade racial e o racismo. A obra de Harper Lee, assim como a de Orwell, impacta porque a narração permanece atual no século XXI, quando casos de discriminação semelhantes são noticiados na mídia todos os dias.

Crime e castigo

O livro foi publicado em 1886, mas continua famoso no mundo todo. Raskólnikov é um jovem pobre e se inspira em grandes homens historicamente renomados, como Napoleão e César, assassinos impunes.

O rapaz comete um crime sem testemunhas e fica paranoico, passando a ser assombrado pela sua atitude. O enredo se passa em São Petesburgo, narra os fantasmas do personagem principal e retrata a tirania que assola a população da época. A obra faz um passeio por becos, tabernas e povoados.

Como fazer amigos e influenciar pessoas

Persuasão e uma sólida rede de contatos são aspectos profissionais fundamentais nas mais diversas áreas do mercado de trabalho — não seria diferente com o advogado. O poder de convencimento é especialmente importante quando você opta por essa carreira.

Dale Carnegie, autor da obra, utilizou a sua experiência como orador nesse livro de leitura leve e fluida. As dicas de relacionamento interpessoal ali descritas ajudam o leitor a fazer e manter contatos, além de outras questões essenciais para você se conectar com o outro e o trazer para o seu ponto de vista.

O caso dos exploradores de caverna

Publicado em 1949 nos Estados Unidos pelo professor Lon L. Fuller da Harvard Law School, o enredo traz a história de 5 homens que ficaram presos em uma caverna no ano de 4300. Buscando a sobrevivência, eles decidem tirar na sorte qual deveria morrer, a fim de servir de alimento aos demais.

O resgate dos exploradores envolve contato com padres, médicos, juízes e autoridades governamentais. Após serem resgatados, os 4 sobreviventes vão a julgamento pela morte do companheiro, suscitando questões morais, de hermenêutica jurídica, jusnaturalismo e positivismo, elucidando a complexidade do caso aos olhos do Direito.

Memórias do cárcere

Que tal ler sobre a experiência real de um dos maiores romancistas e jornalistas brasileiros? Graciliano Ramos é personagem principal e autor da narrativa cujo enredo conta os detalhes das torturas sofridas por ele em presídios do Rio de Janeiro e Pernambuco.

O escritor foi informalmente acusado de participar da Intentona Comunista de 1935, época da Era Vargas. Ele traz à tona as situações vistas e vividas no cárcere, citando presos políticos renomados, como Olga Benário.

Que tal começar hoje mesmo a leitura de algum dos livros de direito listados no texto? Você tem muito a ganhar em desenvolvimento pessoal e profissional. Aposte nas obras para se tornar um advogado mais completo e criar diferencial competitivo no mercado de trabalho.

Se você gostou do assunto, não deixe de compartilhar o post nas suas redes sociais. Aproveite essa chance de fortalecer a sua rede de contatos!