Existe uma relação bastante estreita entre Direito, tecnologia e inovação. Portanto, é fundamental que estudantes, bacharéis e advogados acompanhem as tendências do mercado jurídico para 2020.

A aplicação cada vez maior da tecnologia no dia a dia das pessoas torna essencial compreender os impactos que isso traz para o Direito, já que envolve questões como legislação, relacionamento com os clientes e o próprio posicionamento do advogado no mercado.

Neste post, você vai entender qual é o panorama sobre Direito, tecnologia e inovação para 2020, abordando as principais novidades e tendências. Acompanhe!

Marketing jurídico

O Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) traz várias restrições a respeito da publicidade na advocacia. Porém, as práticas de marketing são fundamentais para atrair mais clientes.

Existem diversas opções que podem ser desenvolvidas respeitando os limites impostos pela OAB, principalmente utilizando a internet e as estratégias de marketing de conteúdo. Algumas opções que os advogados podem usar são:

  • uso das redes sociais para compartilhar dicas e conteúdos interessantes;
  • criação de um site e de um blog para divulgar textos e materiais ricos;
  • investir na criação de newsletter para manter o público informado.

Em complemento, vale investir em outras tecnologias, como os chatbots, que podem ser configurados para manter conversas com os clientes e interessados, esclarecendo dúvidas simples e automatizando algumas tarefas para ajudar na fidelização dos clientes.

Empreendedorismo jurídico

Com a dinâmica do mercado, não basta mais ter conhecimento técnico e prático sobre as ações judiciais e as melhores soluções para os clientes. Afinal, esse é o foco de, praticamente, qualquer advogado. Para se destacar e crescer na carreira, é preciso se diferenciar da concorrência de outras formas.

O empreendedorismo jurídico surge exatamente devido a essa necessidade, demonstrando que é fundamental ampliar os conhecimentos aplicados para conquistar mais clientes. O profissional deve ter conhecimentos que ultrapassam as disciplinas de Direito, incluindo assuntos como:

  • finanças profissionais;
  • recursos humanos;
  • gestão do escritório;
  • técnicas de vendas;
  • boas práticas de marketing;
  • técnicas de networking.

Basicamente, o advogado precisa pensar no escritório como um verdadeiro negócio para ter sucesso e se manter em evidência. Além disso, o profissional precisa investir em atualização, buscando ferramentas que possam auxiliar na sua rotina e melhorar os resultados obtidos.

Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

Se o assunto é Direito, tecnologia e inovação, a LGPD não pode ser esquecida. Sancionada em 2018 e com entrada em vigor a partir de agosto de 2020, ela traz regras rigorosas a respeito do armazenamento e tratamento de dados de usuários. Isso torna fundamental que todos os profissionais e empresas que trabalham com informações de clientes e terceiros fiquem atentos à legislação.

Nesse caso, existem dois pontos importantes para a advocacia. O primeiro é a adequação do próprio escritório à legislação, garantindo o tratamento correto dos dados e o uso de softwares que atendam às determinações legais.

O segundo é uma oportunidade de especialização e oferta de serviços. A lei conta com diversos detalhes técnicos que devem ser observados pelas empresas, tornando a consultoria jurídica um item fundamental para muitos negócios. Assim, o advogado que estiver preparado para trabalhar na área garantirá um diferencial no seu serviço.

Blockchain

Seguindo a tendência do uso de dados, o Blockchain (que significa “cadeia de blocos”) foi criado como um sistema de registro das informações. Ele ficou conhecido com a criação do Bitcoin, que são moedas virtuais.

Para trazer segurança para as transações financeiras realizadas, esse sistema foi criado como uma cadeia de informações, ligadas a outros dados de modo a criar um sistema inviolável e eficiente.

Por isso mesmo, há um grande investimento no desenvolvimento de tecnologias semelhantes para aplicação em outras áreas, inclusive no Direito. Confira algumas opções nas quais o Blockchain pode ser aplicado no mercado jurídico:

  • registros de processos e armazenamento de provas;
  • armazenamento de informações dos escritórios;
  • autenticação de documentos.

Direito Digital

Com a tecnologia estando presente em diversos setores, o surgimento do Direito Digital foi uma necessidade para garantir os direitos das partes e identificar as violações que acontecem ao utilizar recursos tecnológicos. Apesar de ser considerado um ramo de atuação, ele está conectado a diversos setores, como:

  • Direito do Consumidor;
  • Direito Criminal;
  • Direito Contratual;
  • Direito Civil;
  • Direitos Autorais;
  • Direito Trabalhista;
  • Direito Tributário;
  • Compliance.

Na verdade, qualquer ramo que tutele direitos que possam ser afetados devido ao uso do ambiente digital torna necessário o aprofundamento do advogado sobre o funcionamento das ferramentas utilizadas e as possibilidades de defesa dos interesses de seus clientes.

Nesse cenário, os serviços de consultoria têm grande relevância, mas o contencioso também ganha espaço quando é necessário discutir direitos violados e deveres das partes. Por isso, o profissional que deseja atuar na área precisa acompanhar as tendências e buscar atualizações constantes, tornando fundamental a busca sobre as novidades de Direito, tecnologia e inovação.

Advocacia 4.0

A advocacia 4.0 é um ótimo exemplo que engloba Direito, tecnologia e inovação, mostrando como o advogado precisa acompanhar as tendências para conseguir destaque no mercado.

Ela trata das mudanças que surgem no trabalho do profissional de Direito, com o uso cada vez maior de ambientes virtuais, como os processos eletrônicos, as videoconferências e os portais de atendimento online.

A divulgação e o acesso fácil às informações também traz impactos, já que torna cada vez mais difícil encontrar diferenciais para a atuação jurídica. Assim, advocacia 4.0 trata do futuro da profissão e, de certa forma, engloba os demais assuntos que foram abordados no post.

Os escritórios precisam se adaptar às novidades da era digital e ao uso da tecnologia em suas tarefas, a fim de otimizar o trabalho e permitir uma aproximação com os clientes, como armazenamento em nuvem, o uso da inteligência artificial e o uso de plataformas digitais.

Pronto! Agora que você já conhece o panorama sobre Direito, tecnologia e inovação, aproveite para fazer uma análise das áreas que você precisa trabalhar e procure cursos ou especializações para desenvolver uma carreira de sucesso.

Achou este post útil? Se você quer continuar informado sobre as principais dicas para a carreira jurídica, siga as nossas redes sociais e fique por dentro das atualizações! Estamos no Facebook, no LinkedIn e no YouTube.